Aumente Suas Chances Contra O Que Ameaça A Sobrevivência Dos Negócios – Parte II

sobrevivência negócios

Aumente suas chances contra o que ameaça a sobrevivência dos negócios – Parte II

Na primeira parte deste artigo tratamos sobre os “cisnes negros”, eventos de baixíssima probabilidade e de quase impossível previsibilidade, mas que causam impactos tão grandes nas nossas vidas e na sobrevivência dos nossos negócios que, em alguns casos, podemos dividir a história em antes e depois deles. Dissemos que a recente pandemia da Covid-19 é o nosso mais novo cisne negro, pela impossibilidade de se prevê-la. Impossível também prever as reações do poder público diante dela. E, obviamente, quais são os impactos que isso causa na nossa vida e nos nossos negócios. Mas dissemos também que, se os cisnes negros são imprevisíveis por definição, nós ao menos podemos aumentar nossas chances de superá-los e até sairmos melhor desses eventos, olhando com frequência para o nosso modelo de negócios.

Canvas de modelo de negócio

Se observarmos os canvas de modelo de negócio, vamos ver que temos nove blocos, e cada um desses blocos nos oferece inúmeras possibilidades de repensarmos os nossos negócios e em sua sobrevivência, e para cada alternativa imaginada temos que prontamente fazer uma análise da viabilidade. Assim, se esse exercício de reinventar o negócio vira um hábito do empreendedor, a chance de ele já ter uma solução pensada para enfrentar cenários inesperados são muito maiores. Ou ao menos o tempo de resposta a situações de crise será muito melhor.

Segmento de clientes

Temos constantemente que perguntar sobre o quanto conhecemos do ambiente em que os nossos clientes estão inseridos. Quem mais é impactado por esses clientes que nós podemos atingir diretamente? Quem pensa estrategicamente o seu negócio está sempre pensando na diversificação do mercado. Quando um evento deixa em casa milhões de pessoas, quem já pensou nisso antes pode acabar saindo na frente.

Proposta de valor

A preocupação com a criação de novos produtos ou serviços deve ser constante. Quem está sempre fazendo isso tem menos motivos para se preocupar. Especialmente se estamos sempre perguntado se há mais um problema que eu possa ajudar meu cliente a resolver. Se as medidas de confinamento obrigam o fechamento de academias, as academias podem colocar aulas on-line. Aquelas que já tinham essa estrutura como complemento a suas atividades tradicionais já saem em vantagem, e serão menos impactadas.

Canais

Nossos negócios têm sua sobrevivência ameaçada e os empreendedores estão buscando novos canais para atingir seu público. Com a impossibilidade de as pessoas se deslocarem, muitos estão indo para o on-line, para a oferta remota de serviços, para as entregas via aplicativos. Mas é claro que a resposta mais rápida veio de quem já estava nesses canais, ou ao menos já haviam feito estudos de viabilidade sobre isso. Mas não é só entrega, é preciso saber como fazer marketing em múltiplos canais, pegar feedback dos clientes, fechar negócios e muitas outras coisas. Esse é um bloco que requer muita atenção nos momentos em que as coisas estão bem. Para que melhorem ainda mais ou que não sejam pegos despercebidos.

Relacionamento

Agora veja, se você não pode abrir sua porta, tem que avisar os clientes que está fazendo entregas, e está pegando pedidos pelo telefone. Isso é ótimo, mas você tem um cadastro atualizado dos seus clientes? Pensar nas políticas de relacionamento com os clientes sempre deixa o empreendedor próximo daqueles que são seus verdadeiros patrões. O contato próximo vai trazer a possibilidade de juntos traçarem estratégias para enfrentar os tempos difíceis.

Fluxo de receita

Num momento em que o dinheiro circula menos a diminuição da receita das empresas pode comprometer seriamente seu caixa. É com certeza a parte mais crítica da equação. Para não ser surpreendido por esses eventos, o empreendedor deve estar sempre de olho e novas formas de receita. As academias, que já citamos, estão acostumadas a vender pacotes mensais, semestrais e anuais. Mas sempre há a possibilidade de vender produtos associados à imagem de saúde, licenciamento para personal trainers que vão à casa das pessoas, e venda de propaganda nos sites com dicas de exercícios. Mas, claro, a viabilidade dessas possibilidades já deveria ter sido estudada.

Recursos chaves

Alguns cenários não são nada fáceis de ensaiar, mas são necessários. De tempos em tempos devemos sempre nos perguntar o que faríamos se nos faltasse algum recurso. Se fôssemos obrigados a sair do local em que estamos estabelecidos? Se um fornecedor saísse do mercado? Se perdêssemos algum funcionário? Se tivéssemos que trabalhar com menos dinheiro? Pensar constantemente nos recursos que temos à disposição e que necessitamos é o melhor exercício para enfrentar os cisnes negros.

Atividades chaves

Com o passar do tempo começamos a fazer as coisas no piloto automático, de maneira que nem pensamos mais no por que fazemos o que fazemos. Mas, precisa ser assim? Na verdade, é altamente recomendável que o tempo todo o empreendedor questione a utilidade e a razão das atividades que executa. Esse exercício de melhoria contínua é fundamental para que, na hora do aperto e do improviso, não fiquemos paralisados pela ineficiência das nossas ações cotidianas.

Parceiros chaves

Talvez o que menos dependa do empreendedor nos blocos do canvas seja o de parceiros estratégicos. Reduzir a dependência deles é sempre bem vindo como meio de reduzir riscos. Mas isso não necessariamente significa ter necessariamente opções para substituí-los ou internalizar seu papel na nossa cadeia econômica. Às vezes devem-se buscar maneiras de se fazer essencial para o negócio de seus fornecedores, propor alianças até mesmo com competidores, dividindo mercados, ou criando novos negócios com novas propostas de valor.

Conclusão

Todas essas medidas, tomando o canvas como ponto de partida de reflexão, devem ser ensaiadas a partir de um estudo de viabilidade, que devem considerar os impactos não apenas nos custos e despesas, mas do fluxo de receitas, para se maximizar o retorno sobre o investimento. Quanto mais e mais cenários foram ensaiados, maiores as chances de reduzirmos o impacto dos cisnes negros nos nossos negócios, e, também, aproveitarmos os cisnes negros positivos, pois eles também existem. E como diz o ditado: “Sorte é o que acontece quando a preparação encontra a oportunidade”.

 

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *